Criteria Agro – o que aconteceu no mercado de agronegócio em 2022 e o que esperar de 2023

O agro movimenta o Brasil! Por isso, em nossa Criteria Agro, montamos um relatório completo com as principais notícias de 2022 e também o que esperar para 2023! Confira!

JANEIRO

CENÁRIO 2023

LA NIÑA

É um fenômeno climático que ocorre quando as águas do oceano Pacífico equatorial estão mais frias do que o normal, causando alterações nas correntes de vento e chuva em todo o mundo. É de se esperar um alívio nas condições climáticas devido ao fim do evento, o que pode influenciar na redução dos preços de alimentos. A produtividade das safras tem boas chances de melhorar, aliviando a escassez de oferta de grãos e oleaginosas. A imagem mostra os impactos climáticos entre dezembro e fevereiro.

agro-agronegocio-criteria-partners-investimentos

Os preços agrícolas podem cair ainda mais, especialmente a partir do final do 1T23 após a colheita da América do Sul, que registrou forte safra de soja e milho. Os efeitos do evento foram mais concentrados na Argentina, que além de menor representatividade, teve seu déficit de produção suprido pela safra brasileira. Analistas esperam que a produção de soja do Brasil no ano de 2023 suba 18,4%, para 151 milhões de toneladas.

Durante os últimos ciclos do La Niña- 2007, 2010 e 2012 – foi observado um aumento de preço nos grãos que fez com que a margem de lucro dos produtores reduzisse. A normalização do La Niña alivia as cadeias de produção global.

RECESSÃO À FRENTE

Alguns analistas acreditam que há poucos fatores impedindo a queda dos preços das commodities em 2023. Inicialmente, as commodities, foram os principais contribuintes para a inflação global, após choques consecutivos na cadeia de suprimentos, guerra entre Rússia e Ucrânia e eventos climáticos desfavoráveis. Atualmente, o mercado já precifica uma recessão em alguns países da Europa, como Itália, Alemanha e Reino Unido, e crescimento nulo nos EUA em 2023.


Apesar do cenário de recessão global, a reabertura da China será o principal tema no mercado de commodities ao longo de 2023, com o rebalanceamento do consumo, deslocamento das cadeias de suprimentos e aquecimento do mercado de trabalho acima da capacidade. Consequentemente, haveria uma aceleração dos salários e da inflação. O entusiasmo renovado dos investidores pelas perspectivas de metais contrasta com o atual quadro um tanto sombrio de recessão mencionado.


O cobre começou 2023 em alta, com investidores voltando ao mercado na expectativa de que a rápida saída da China de um ano de bloqueios se traduza na recuperação da demanda no maior comprador de metais do mundo. Um posicionamento comprado em cobre é principalmente uma aposta na recuperação chinesa.

Os ganhos do cobre foram ofuscados pelos do minério de ferro, que está ainda mais alavancado para a retomada da construção imobiliária chinesa. Na carona dos metais, a prata também fez seus movimentos de alta e o ouro vem valorizando seus preços desde outubro do ano passado. No cenário em que o Fed se inclina para a flexibilização, o ouro seria mais demandado entre os investidores, por ser um recurso natural finito e visto como um porto seguro, uma alternativa de investimento seguro para o tesouro do governo.

ANÁLISE 2022 CEPEA | ESALQ

ARROZ

O mercado brasileiro de arroz em casca iniciou 2022 com preocupações relacionadas à possível pressão sobre os valores do cereal. Porém, a estabilidade da oferta – devido à perda de potencial produtivo no Sul do Brasil – e o crescimento expressivo das exportações deram sustentação aos preços domésticos.

ALGODÃO

Os preços do algodão em pluma registraram oscilação expressiva nos mercados em 2022. A menor oferta global deu o tom altista, enquanto preocupações com o cenário inflacionário e a redução na demanda global, sobretudo por parte da China, pressionaram os valores internacionais e domésticos. As cotações internas registraram quedas bruscas na segunda metade do ano.

AÇÚCAR

Na maior parte da safra 2022/23, os preços do açúcar cristal branco operaram no mercado spot de São Paulo em patamares abaixo dos da temporada anterior. A produção de açúcar em São Paulo foi inferior à da temporada passada. Somente em meados de novembro/22 que as usinas paulistas direcionaram mais cana para a produção do adoçante, de forma que o total chegou a superar o da safra 2021/22.

BOI

Mesmo diante dos fortes aumentos nos custos de produção ao longo dos últimos anos, o setor pecuário nacional seguiu realizando investimentos no campo, o que resultou em crescimento na oferta de animais para abate em 2022.

CAFÉ

Em 2022, o mercado cafeeiro nacional foi influenciado por incertezas. No primeiro semestre, as cotações do arábica estiveram acima dos R$ 1 mil por saca de 60 kg, influenciadas pela guerra entre a Rússia e a
Ucrânia, que reforçou os entraves logísticos carregados desde o início da pandemia e elevou os preços dos insumos. Vale ressaltar que os preços já estavam altos pela restrição de oferta.

FRANGO

O volume de carne de frango exportado pelo Brasil renovou o recorde em 2022. Com a guerra entre a Rússia e a Ucrânia e o aumento do número de casos de gripe aviária no hemisfério norte, a demanda externa pela proteína brasileira cresceu significativamente. Esse cenário elevou os preços domésticos da
carne em 2023 frente aos de 2021.

ETANOL

O volume de etanol exportado pelas usinas brasileiras foi um dos destaques da safra 2022/23 e ajudou a reduzir a oferta do biocombustível no mercado interno – ressaltasse que, no ciclo anterior, a menor oferta limitou as exportações brasileiras de etanol.

MILHO

Os preços do milho iniciaram o ano de 2022 em alta. Após o primeiro trimestre, agentes voltaram as atenções à segunda temporada, que teve produção recorde, o que, por sua vez, gerou pressão sobre as cotações desde então.

SOJA

A temporada 2021/22 se iniciou com preocupações quanto à redução da oferta de soja no Brasil, cenário que foi confirmado, sobretudo no Sul do País e em partes do Sudeste e do Centro-Oeste. Como perdas
expressivas também foram verificadas na Argentina e no Paraguai, a maior oferta de 2021 nos Estados Unidos não foi suficiente para compensar essas quedas nas produções.

Com isso, os estoques mundiais se reduziram, sustentando os preços (inter)nacionais. No Brasil, o valor médio de 2022 é um recorde anual, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IGP-DI de nov/22).

TRIGO

Mesmo diante de colheita recorde de trigo no Brasil, os valores de negociação do cereal operaram em patamares máximos da série histórica do Cepea em 2022. No contexto global, diversos fatores resultaram em diminuição, pelo segundo ano consecutivo, na relação estoque final/consumo mundial. Assim, a demanda interna seguiu ativa, superando a oferta e elevando os preços do cereal.

NOTÍCIAS QUE MARCARAM O MERCADO AGRO EM 2022

JANEIRO

Incêndios afetaram produtores e pecuaristas no Rio Grande do Sul. Foram registrados mais de 70 focos de incêndio naquela região.

FEVEREIRO

Conab revisou uma redução da safra brasileira de grãos 2021/22 de 5,7% em um mês, resultado das fortes secas que afetaram importantes regiões produtoras no sul do Brasil.

MARÇO

Um míssil atingiu o escritório de uma das maiores empresas de fertilizantes, a Yara International, localizada na Ucrânia, piorando as expectativas de importação desse insumo.

ABRIL

A safra de laranja no cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro foi encerrada com um rombo de 10,61% frente à expectativa devido às chuvas e de geadas.

MAIO

A China assinou um protocolo para permitir as importações de milho e amendoim provenientes do Brasil.

JUNHO

As receitas com exportações do agro brasileiro somaram US$ 15,7 bilhões, alta de 31,2% em relação ao mesmo mês de 2021. O comportamento é resultado da elevação nos preços dos produtos embarcados, que foi de 27,9% em junho.

JULHO

A produção de biocombustível foi de 191,51 milhões de litros na última quinzena de julho, 13% maior do que no igual período de 2021/22.

AGOSTO

Em meio as tensões com os Estados Unidos (questão de Taiwan), a China voltou atrás e anunciou que irá
permitir as importações de milho brasileiro em 2022.

SETEMBRO

O furacão Ian deixou mais de 40 mil pessoas desalojadas na Florida. A citricultura ficou fragilizada devido
aos ventos e alagamentos, causando a queda de frutos em diversas regiões.

OUTUBRO

Divulgação do relatório trimestral do USDA para as três principais cadeias de produção animal e a previsão para 2023, onde foi estimado uma queda na oferta global.

NOVEMBRO

Realização da “COP 27”, evento que reúne líderes mundiais e a ONU para debater sobre adaptação climática, mitigação dos gases do efeito estufa e a colaboração para conter o aquecimento global.

DEZEMBRO

No mercado de CBios (créditos de descarbonização), 29,06 milhões de créditos foram emitidos até
dezembro, 87% da meta do Renovabio foi adquirida até o momento em 2022.

A Criteria Agro é uma iniciativa da Criteria Partners. Saiba mais sobre esses e outros assuntos acessando o nosso blog. Você também pode se interessar por:

Criteria Agronegócio – as principais notícias sobre o mercado

Como fazer um bom investimento no exterior

CRA E Fiagro – o avanço do agronegócio no mercado de capitais

Confira nossos Posts Recentes

Abra uma conta para você ou sua empresa

Fale com um assessor e entenda todas as nossas soluções.

Este site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando você aceita nossa Política de Privacidade.