Índice Geral de Preços do Mercado IGP-M: principais aplicações

Se você acompanha o mundo financeiro ou está envolvido em investimentos, é provável que já tenha ouvido falar do Índice Geral de Preços do Mercado, ou IGP-M. Trata-se de uma importante referência no universo econômico, utilizado como indicador de inflação e reajuste de contratos. 

Por falar em inflação, o IGP-M desempenha um papel fundamental na medição da inflação. Embora o indicador oficial de inflação no Brasil seja o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o IGP-M também é amplamente utilizado nesse contexto.

Além disso, essa referência economica é calculada a partir de diferentes índices que refletem a variação de preços em vários setores da economia, como o Índice de Preços por Atacado (IPA) e o Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Essa abrangência ampla permite que o IGP-M seja um termômetro confiável da inflação, capturando as pressões inflacionárias em diversos segmentos econômicos.

A partir de agora, vamos explicar o que é o IGP-M, como ele é calculado e suas principais aplicações. Boa leitura!

O que é o Índice Geral de Preços do Mercado?

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) é um indicador econômico utilizado para mensurar a variação de preços de uma cesta de bens e serviços ao longo do tempo. Ele é calculado mensalmente pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e possui ampla abrangência, englobando desde produtos agropecuários até industriais e de construção civil.

Diferentemente de outros índices de preços, como o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que tem foco nos gastos das famílias, o IGP-M é utilizado principalmente para fins contratuais, servindo como referência para reajustes em aluguéis, tarifas públicas, mensalidades escolares, entre outros.

Como o IGP-M é calculado?

O cálculo é baseado na média ponderada de três outros índices, que compõem sua estrutura:

  1. Índice de Preços por Atacado (IPA): Com peso de 60% na composição do IGP-M, o IPA reflete a variação de preços dos produtos vendidos no atacado, abrangendo desde matérias-primas até bens intermediários.
  2. Índice de Preços ao Consumidor (IPC): Responsável por 30% da composição do IGP-M, o IPC mede a variação de preços de bens e serviços adquiridos pelas famílias, como alimentação, habitação, transporte, entre outros.
  3. Índice Nacional de Custo da Construção (INCC): Com peso de 10% no IGP-M, o INCC reflete a variação dos custos na construção civil, considerando materiais, mão de obra, entre outros fatores.

Após calcular a variação percentual desses três índices, aplica-se uma média ponderada para chegar ao valor do IGP-M do período em análise.

4 aplicações do IGP-M que você precisa saber

O IGP-M possui diversas aplicações práticas, sendo utilizado como referência em contratos e investimentos. Abaixo, destacamos algumas das principais aplicações do índice:

Reajuste de aluguéis

O IGP-M é amplamente utilizado como referência para o reajuste de contratos de aluguel. Geralmente, a cada 12 meses, os contratos de aluguel são atualizados com base na variação acumulada do IGP-M no período. Essa prática é estabelecida em lei e visa manter o valor do aluguel alinhado com a inflação.

Revisão de tarifas públicas

Tarifas de serviços públicos, como energia elétrica e água, também podem ser reajustadas com base no IGP-M. As concessionárias utilizam o índice como referência para calcular os aumentos, buscando equilibrar os custos de produção e os impactos da inflação nos serviços prestados.

Contratos de prestação de serviços

Em contratos de prestação de serviços de longa duração, como planos de saúde e mensalidades escolares, o IGP-M pode ser utilizado como índice de reajuste. Isso ocorre para que as partes envolvidas possam manter o equilíbrio econômico-financeiro do contrato ao longo do tempo, considerando a variação dos custos de produção.

Investimentos e planejamento financeiro

O IGP-M também é uma referência importante para investidores e para o planejamento financeiro. Investidores podem utilizar o índice para acompanhar a evolução da inflação e ajustar suas estratégias de investimento. Já no planejamento financeiro pessoal ou empresarial, o conhecimento da variação do IGP-M auxilia na projeção de gastos e na tomada de decisões financeiras mais embasadas.

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) é um indicador econômico de grande relevância, utilizado para medir a variação de preços de uma cesta diversificada de bens e serviços. Sua composição baseada em três índices distintos permite uma abrangência ampla, refletindo a variação de preços em diferentes setores da economia.

Com amplas aplicações, o IGP-M é utilizado para reajustar contratos, como aluguéis, tarifas públicas e mensalidades escolares. Além disso, ele serve como referência para investidores e auxilia no planejamento financeiro, possibilitando uma visão mais precisa sobre a variação dos preços ao longo do tempo.

É importante ressaltar que, embora seja um indicador relevante, o IGP-M não deve ser o único fator considerado em decisões financeiras e contratuais. Outros indicadores econômicos, bem como a análise de cenários e projeções específicas, devem ser levados em conta para uma avaliação mais completa e precisa.

Em suma, o IGP-M desempenha um papel crucial na economia, contribuindo para a manutenção do equilíbrio em contratos e servindo como uma ferramenta de referência para investidores e planejamento financeiro. Acompanhar e entender o funcionamento desse índice é fundamental para quem busca tomar decisões embasadas no mercado econômico.

Confira nossos Posts Recentes

Abra uma conta para você ou sua empresa

Fale com um assessor e entenda todas as nossas soluções.

Este site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao continuar navegando você aceita nossa Política de Privacidade.